Entidades divergem sobre paralisação de caminhoneiros no RS

Entidades divergem sobre paralisação de caminhoneiros no RS

Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga promete cruzar os braços, enquanto a Federação dos Caminhoneiros Autônomos acredita que não é o momento

Em meio à divisão da categoria sobre nova greve, caminhoneiros da região noroeste do Rio Grande do Sul anunciaram que vão cruzar os braços na próxima segunda-feira (16). O Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Ijuí (Sinditac), uma das principais entidades do Estado mobilizada na paralisação de 2018, confirmou a adesão ao protesto. O preço dos combustíveis e a tabela do frete estão entre as principais insatisfações dos profissionais. 

Conforme o Sinditac, os caminhoneiros da região ficarão concentrados entre a BR-285 e a RS-342, em Ijuí. A ideia é não realizar bloqueios em rodovias nesse primeiro momento, segundo o sindicato.

O presidente da Federação dos Caminhoneiros Autônomos no Rio Grande do Sul (Fecam-RS), André Costa, afirma que a entidade entende que não é o momento desse tipo de movimento, pois a categoria ainda está em “mesa de negociação”.

— Nosso sentimento e a nossa manifestação é de que o momento não é oportuno e quem quer que faça qualquer tipo de movimentação nesse sentido que assuma as suas responsabilidades.

 Na segunda-feira (9), o governo informou que são pequenas as chances de uma nova greve nacional dos caminhoneiros nos mesmos moldes de 2018. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, reforçou que o governo segue em diálogo com a categoria para o encaminhamento das demandas do setor.

Procurada pela reportagem de GaúchaZH, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) no RS informou que seguirá monitorando a possibilidade de interrupção de pista, como costuma fazer em operações de rotina. O órgão informou que não identificou indícios de grande mobilização para atos na segunda-feira.

O Ministério da Infraestrutura informou, por meio de nota, que “mantém desde o início do atual governo uma política de diálogo contínuo e bimestral com as entidades representativas de embarcadores, transportadores e caminhoneiros autônomos por meio da retomada e a reformulação do Fórum Permanente do Transporte Rodoviário de Cargas”.

“Ao longo do ano, uma série de medidas foram tomadas e uma delas é a resolução que vai tratar do Código Identificador da Operação de Transporte (Ciot). A resolução provavelmente sairá na próxima semana”, diz trecho do comunicado.

A possibilidade de greve dos caminhoneiros voltou a ser ventilada na semana passada, quando Marconi França, apontado como um dos representantes da categoria, convocou os trabalhadores para a mobilização no dia 16 deste mês. Uma das convocações ocorreu na Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio de Janeiro, o que irritou parte da categoria, que rechaça tom político-partidário ao movimento.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn