Transporte de cargas é o que mais afasta profissionais do trabalho em Rondonópolis - Sindicarga

Transporte de cargas é o que mais afasta profissionais do trabalho em Rondonópolis

Transporte de cargas é o que mais afasta profissionais do trabalho em Rondonópolis

0 Flares 0 Flares ×

O mês de abril é dedicado a prevenção de acidentes de trabalho, por meio da campanha Abril Verde, do Ministério Público do Trabalho (MPT/MT). Dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do MPT mostram os números de Rondonópolis com relação a essas ocorrências, sendo que, na cidade, felizmente, o número de mortes em decorrência de acidentes de trabalho vêm apresentando queda a cada ano. Para se ter uma ideia, foram 13 mortes em 2015, seis mortes em 2016 e três mortes em 2017, o último ano com dados divulgados. Contudo, ainda há muitas lesões e afastamento em decorrência de Acidentes, mostrando que há um longo caminho ainda a percorrer.

Entre as lesões mais frequentes, no acumulado entre os anos de 2012 e 2017 dos dados do Observatório Digital, estão as fraturas; cortes/feridas; esmagamento; ferimento superficial e as distensões. Já os setores econômicos com maior comunicação de lesões são o de abate de pequenos animais (suíno, aves); atendimento hospitalar; transporte rodoviário de cargas; fábricas de adubos e fertilizantes e construção de edifícios.

Há também um expressivo número de afastamentos do trabalho, com 286 casos em 2015, 342 em 2016 e 340 em 2017. Os setores econômicos com o maior número de afastamentos são o transporte rodoviário de cargas; lojas de peças e acessórios de veículos automotores; comércio varejista de ferros, madeiras e materiais de construção; comércio varejista em geral, especialmente alimentício e construção de edifícios. Os motivos mais frequentes que levaram os trabalhadores desses setores ao afastamento do trabalho foram fratura de punho e mão; fratura de perna e tornozelo; fratura no antebraço; fratura no pé (exceto tornozelo) e fratura nos ombros e braços.
DATA COMEMORATIVA

No dia 28 de abril, é celebrado o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, data escolhida em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969. No Brasil, em maio de 2005, foi promulgada a Lei 11.121, criando, na mesma data, o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.
BRASIL

Dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do MPT também demonstram a ocorrência de um acidente de trabalho a cada 48 segundos no país, com uma vítima fatal a cada 3 dias. De janeiro de 2018 até 29 de março de 2019, foram mais de 802 mil acidentes de trabalho registrados, resultando em pelo menos 2.995 mortes.

Entre as vítimas fatais, estão os trabalhadores que perderam a vida no maior acidente de trabalho da história do país, com o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG); e os atletas entre 14 e 16 anos da categoria de base do Flamengo, vítimas do incêndio no centro de treinamento do Rio de Janeiro.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×