Policiamento ostensivo não apresentou resultados, diz porta-voz da intervenção no RJ - Sindicarga

Policiamento ostensivo não apresentou resultados, diz porta-voz da intervenção no RJ

Policiamento ostensivo não apresentou resultados, diz porta-voz da intervenção no RJ

0 Flares 0 Flares ×

O coronel Roberto Itamar afirmou que o policiamento permanente não se mostrou eficaz porque a criminalidade retorna quando os policiais deixam as áreas ocupadas.

Por isso, segundo ele, o gabinete vem adotando ações pontuais e de curta duração com o apoio de setores de inteligência.

O porta-voz da intervenção federal no Rio, coronel Roberto Itamar, reconheceu que o policiamento ostensivo nas ruas do Rio de Janeiro não apresentou resultados no combate à violência. Em entrevista ao Jornal da CBN, o coronel disse que a ansiedade da população por uma sensação de segurança é compreensível e que o policiamento nas ruas foi implementado com a decretação de Garantia da Lei e da Ordem, em julho do ano passado. No entanto, segundo ele, esse tipo de trabalho não apresenta resultado porque a criminalidade retorna aos locais ocupados assim que a polícia sai.

“Uma presença permanente não traz resultado porque, quando a polícia sai, a criminalidade retorna. O que vem sendo feito são ações pontuais e de curta duração, com apoio da inteligência, para se atingir as organizações criminosas de maneira mais efetiva”, admitiu.

Roberto Itamar também afirmou que a chegada da verba de R$ 1,2 bilhão, liberada pelo governo federal para a segurança pública do estado, vai permitir a intensificação das ações. Ele disse que os recursos já foram repassados e estão disponíveis ao gabinete da intervenção federal. O coronel afirmou que as medidas que serão adotadas com o dinheiro serão anunciadas em breve.

“Ontem, a maior parte das pessoas que vão ocupar cargos para gerir os recursos já se apresentaram. As ações vão poder ser implementadas com o aporte do governo federal e, muito em breve, essas medidas serão anunciadas”, explicou.

A intervenção federal completou dois meses nesta segunda-feira. O porta-voz considerou o tempo de intervenção curto para o cidadão fluminense ver mudanças efetivas na segurança e disse que, até o momento, foi feito o possível. Apesar disso, ele afirmou estar satisfeito com o trabalho das tropas e dos órgãos de segurança do estado. O coronel se mostrou confiante de que será possível cumprir a tarefa dada pelo decreto da intervenção federal, assinado pelo presidente Michel Temer em fevereiro, que prevê o “fim à grave perturbação da ordem pública”, e lembrou que o objetivo não é zerar as estatísticas criminais.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×